• Vizzotto Editora

SALDO DE EMPREGOS DISPARA NA REGIÃO DE ITAJAÍ

A economia de Itajaí vive bons momentos. Números divulgados pelo Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) em janeiro mostram o salto em crescimento de novas vagas no mercado de trabalho na cidade ao longo de 2021. Só na construção, o aumento foi de 152,68% em relação a 2020. Ao todo, o setor contratou 4.897 pessoas e demitiu 4.096, resultando em saldo de 801 vagas. No ano anterior, foram 3.515 contratações e 3.198 demissões, somando saldo de 317 vagas. “Isso mostra a pujança do setor na cidade e, principalmente, sua importância econômica”, avalia o presidente do Sinduscon da Foz do Rio Itajaí, engenheiro civil Bruno Pereira.

Os números positivos alcançam as demais cidades que integram a base territorial do sindicato. Em Navegantes, a construção respondeu por 995 contratações contra 825 demissões, resultando em saldo de 170 vagas – número 9,68% superior ao desempenho em 2020, quando foram contratados 803 profissionais e demitidos 648, o que gerou saldo positivo de 155 vagas no setor. Em Piçarras, a construção contratou 391 profissionais e demitiu 310, somando 81 vagas positivas, total de 76,09% a mais que no ano anterior. Já Penha elevou o percentual de forma expressiva: incremento de 713,95% no saldo de empregos gerados pela construção. Em 2021, foram 1.115 contratados contra 765 demitidos, resultando em saldo de 350 vagas. Os números do setor contrastam com os de 2020, quando a construção da cidade contratou 567 pessoas e demitiu 524, somando saldo de 43 vagas.

Pereira aposta que 2022 terá igual desempenho de 2021, com expectativas de crescimento. “A construção em nossa região tem registrado alto nível de atividade, com inúmeros lançamentos e valorização constante no preço do metro quadrado residencial novo. Ao longo do ano passado, Itajaí liderou diversas vezes o pódium nacional em valorização imobiliária, ficando à frente de todas as capitais brasileiras e cidades de expressiva relevância neste cenário”, comenta.

ITAJAÍ E REGIÃO

O aquecimento econômico visto no setor da construção também pode ser percebido na economia geral da cidade. Em 2020, a diferença entre pessoas contratadas e pessoas demitidas na cidade foi de 2.673. Já em 2021, este saldo positivo de vagas subiu para 10.674 pessoas, representando aumento de 299,33% no saldo de vagas de todos os setores que integram a economia local.

Mesma pujança pode ser percebida em Navegantes, onde o aumento no saldo de empregos – de 2020 para 2021 – foi de 637 vagas para 1.493 vagas, refletindo em crescimento de 134,38%. Em Penha, o saldo de vagas passou de 523 em 2020 para 1.133 em 2021, aumento de 116,63%. Em Piçarras, novo desempenho expressivo: crescimento de 596,55% no saldo total de vagas gerado pela economia local. Foram 3.303 contratados, contra 2.697 demitidos, resultando em saldo de 606 vagas, contra 87 vagas registradas em 2020.

* Os números de 2021 se referem ao período de janeiro a novembro disponibilizados até o fechamento desta edição pelo Caged. Os de 2020 compreendem o ano completo. As estatísticas que citam a economia geral das cidades englobam os setores da agropecuária, construção, indústria, comércio e serviços.

26 visualizações0 comentário
WHATSGR.fw.png